domingo, setembro 20, 2009

Eu sei, eu não deveria

Aliás, não sei se eu deveria. Ando deixando de fazer muitas coisas pelo simples fato de que não quero ter muito trabalho, muito gasto de energia mental, muita dor-de-cabeça. Mas se tolhir, pensar em não fazer algo que se quer para que outros não pensem nada de errado de você, já é um gasto de energia demasiadamente grande. Além de ser uma estupidez imensa, uma vez que não importa o que você faça, sempre vai ter um espírito de porco pra te criticar. E eu sou um deles, eu sei. Mas confesso que ando cansada de ser assim.
Essa preocupação doentia pela vida alheia me enoja. Quer se preocupar com o outro mesmo? Quer estar a par da vida dele, quer estar presente com opiniões, regras, norte? Esteja de verdade. Esteja lá quando ele precisar. Não banque o melhor amigo, o irmão mais velho, o paladino da justiça, o mestre dominador das verdades. Dê uma palmadinha no ombro quando ele estiver pra baixo e não fale nada. Melhor do que abrir a boca quando ele está feliz com um "você vai quebrar a cara".
Ando tão intolerante e cansada de certas pessoas que nem deveria estar escrevendo. Hoje, escrevo só pra dizer que acho vocês um porre. Não todos, claro. Mas, infelizmente, a maioria.