sábado, maio 22, 2010

Hoje, não é dia de ser certa. Não quero. Só quero te dizer o quanto eu te detesto agora. Você e suas manias. Você e sua falta de tato. Sempre impondo seu ponto de vista. Sempre esperando ser reconhecido, quando dá suas migalhas. Para você, é sempre uma questão de auto-afirmação. Quer que lhe elogiem, quer que lhe ouçam, quer que fiquem ao seu lado. Mas, na maioria das vezes, você merece ser duramente criticado, você merece que lhe batam a porta na cara e lhe dêem as costas, você não merece minha companhia e meu apoio.
Não sei como te dizer isso. Nunca saberei, por certo. Carente e complexado, não aguenta críticas. Destemperado e impetuoso, não ouve ninguém, por estar sempre gritando.
Diante de ti, me calo. És somente a personalização de muitos problemas.
Você, Ser Humano, erra demais para o meu gosto.



"Errar não é humano,
Depende de quem erra."

segunda-feira, maio 03, 2010

500 Dias com ela - 500 Days of Summer


Assisti 500 dias com ela e fiquei assim, aérea, como estou agora. O filme é muito lindo e cheio de significado. 1000 referências em minha vida, lembranças, pensamentos em amigos queridos.

Mas, do filme, trago idéias principais para dividir aqui. Com spoilers, claro.

Summer não sabia o que era amor, pois nunca ninguém foi capaz de definir. Quando finalmente o encontrou, soube. Sentimento é isso, incapaz de definir em palavras. Poetas morreram tentando, chegando perto. Mas só se entende os poetas, quando se sabe do que eles estão falando. Eles só representam, não dão o significado. Assim, é o amor de cachorro. Eles não sabem o que diabos é amor, mas eu tenho a mais absoluta certeza que minha cachorra me ama. Eu já falei isso aqui, chega de tentar colocar sentimentos em potes, compartimentalizados.

Outra idéia, também vai na onda do "chega". Tom tentou por 500 dias nadar contra a maré. O mar, como todos sabem, é convidativo, delicioso o rasinho, a água quente. Aí, vc se perde às vezes, fica muito tempo no sol, ou se deixa levar pela maré. Foi assim com ele. Ele esqueceu todos os sinais, desligou, relaxou e foi. Parou de tentar qualquer outra coisa, e só reunia as forças dele em amar Summer. Esquecendo até mesmo do pequeno detalhe, que era que ela não parecia o amar. A gente precisa aprender a ligar o "chega". Eu aprendi, e não foi da melhor maneira possível.

A gente precisa mesmo tomar umas na cara como ele tomou lá naquele banquinho com Summer até aprender? Não dá pra ser mais leve? Precisa mesmo algo grande, como ela ter casado? E nessa mentira o filme se assemelha com as ilusões das demais comédias românticas. É preciso tomar mais 203993841 na cara para entendermos. Às vezes, mais que isso. Não há nada que possa fazer a gente cair em si, numa hora dessas, se não quisermos.


Só mais uma informação importante: Achei o meu par romântico pra vida. Quero um Tom, interpretado pelo Joseph Gordon-Levitt, pra mim. Tô completamente apaixonada, o mais lindo protagonista de comédias românticas, o que mais faz meu tipo. Quem tiver um pra me apresentar, porfavor, me arranja? Serei eternamente grata. =)